Organização a vida!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Semana passada foi intensa, passou como se fosse um relâmpago, mas ainda deu para aproveitar o gostinho de tanta coisa boa acontecendo.  Produtividade em alta, com trabalhos diversificados e bacanas, atendimentos de novos e antigos clientes, parcerias, workshop em empresas e sensação de dever cumprido.  Outra semana se inicia num ritmo ainda superior, com demandas internas e externas.   Vejo a necessidade de colocar em prática os métodos de organização apresentados no Transcende Mulher e no workshop Tempo Amigo. Hora de respirar fundo, organizar as atividades e direcionar a mente. É preciso organizar os pensamentos para que eles trabalhem a favor, substituindo os que poderiam gerar ansiedade pelos que podem trazer solução.  Olhando a agenda, observo que alguns “nãos” precisarão ser ditos ou que negociações precisarão acontecer para uma melhor acomodação das demandas… faz  parte. Priorizar os assuntos com sabedoria pensando no bem maior é necessário.  Abraçar o mundo nem sempre é possível quando se deseja preservar a qualidade e o bem estar, mas a gente pode dar uma “compactada” em algumas coisas, reduzir o tempo de algumas situações. Por isso, hoje o texto é curto, mas contém o principal que eu gostaria de compartilhar. Que seja uma semana animada e feliz para todos!

Texto de Patricia Peres Monteiro –  Especialista em Inteligência Emocional, Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Willian Iven

Movimente seu Corpo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dentro de tantas decisões que tomo para deixar minha vida mais prática e aproveitar melhor meu tempo, buscar fazer coisas perto de onde moro é primordial.

Nem sempre foi assim, mas atualmente tenho a facilidade de trabalhar a 10 minutos de casa e ter boas opções de serviços por perto, o que impacta diretamente na minha qualidade de vida.

Além do tempo que economizo ainda tenho a possibilidade de fazer muitas coisas a pé, movimentar o corpo e descansar a mente.  Resultado: mais criatividade, disposição, humor e saúde.

Retornando hoje da academia, vim pensando justamente em tudo isso e principalmente na importância do movimento.  Mais do que a sensação de dever cumprido, observei uma forte conexão com meu corpo, quase como se ele estivesse me agradecendo pelo movimento realizado. Neste curto espaço de tempo pude sentir e pensar muitas coisas.

Tudo no mundo está em movimento constante. Isso é o natural.  Compreender o ritmo saudável para nós e harmonizá-lo com o ritmo que o mundo pede pode ser a chave para uma vida plena.

Nos meus grupos, eu gosto sempre de lembrar as pessoas que as mudanças que queremos para nossa vida podem acontecer de dentro para fora, mas também de fora para dentro.  Podemos obter muita consciência de quem somos através das atividades físicas, gerando ao mesmo tempo uma estrutura física fortalecida que nos dê condições para realizar tudo que queremos.

Algumas pesquisas comprovam isso e vão além, informando que, quando mantemos uma postura considerada “de poder” por pelo menos 2 minutos, ocorre uma alteração química em nosso organismo que interfere diretamente no nosso modo de sentir e agir, aumentando a autoconfiança.

Se você tem alguma dúvida do que seria uma “postura de poder”, basta assistir o filme: O Diabo veste Prada, onde a atriz  Meryl Streep demonstra com maestria várias posturas interpretando Miranda Priestly,  poderosa editora chefe de uma revista famosa. Obviamente podemos deixar de lado a arrogância característica da personagem, aproveitando apenas o poder que as posturas transmitem.

Um corpo que tenha uma boa sustentação da musculatura naturalmente apresentará tais posturas, interferindo positivamente inclusive na autoestima.

Quando associamos o corpo saudável ao trabalho terapêutico, temos o melhor dos mundos, damos um salto rumo às nossas realizações.

Então, não importa qual seja o movimento, o importante é encontrar algo apropriado para seu corpo, seu estilo de vida, sua personalidade, enfim, encontrar algo que te proporcione alegria e saúde.

 

Texto de Patricia Peres Monteiro –  Especialista em Inteligência Emocional, Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Mwangi Gatheca

Sorrir faz bem!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em alguns atendimentos, quando percebo que meus clientes precisam de uma orientação específica, menciono alguns comportamentos ou regras de etiqueta social para que estejam preparados para diversas situações. Uma das orientações mais simples é de fazer uso do sorriso (natural). Ao sorrir, a pessoa transmite a mensagem: Está tudo bem… eu estou bem… e a outra pessoa naturalmente tende a sair do modo de ataque/defesa. Se alguém te afronta e ao invés de reagir com irritabilidade você esboça um leve sorriso, sem cinismo ou ironia, apenas demonstrando que está ouvindo respeitosamente aquele ponto de vista,  informa para a pessoa que não está se identificando com o ataque e de maneira mais elegante, pode resolver a questão. O sorriso também serve para “quebrar o gelo” em situações onde você está conhecendo novas pessoas, facilitando o estado empático. Ele pode ser útil quando você está sob pressão e precisa relaxar seu corpo para, com tranquilidade e centramento, propiciar ao cérebro melhores condições para que ele encontre boas soluções. Serve até para descontrair quando você escuta algo que discorda. Enfim, o sorriso pode ser usado à seu favor em diversas situações.

Certa vez, numa aula de yoga onde o maior tempo de permanência numa determinada posição do exercício era nosso desafio, ouvi algo do mestre que uso até hoje.

Ele nos orientou que, quando a mente sinalizasse que tínhamos chegado ao que considerávamos o limite do suportável para nós, que sorríssemos.  Isso mesmo. Sorrir era a recomendação para nós naquele momento!

Quase que imediatamente, todos na sala começaram a sorrir e pudemos comprovar duas coisas:

1) O sorriso é contagiante

2) O corpo responde rápido ao sorriso

Eu já devia ter experimentado isso outras vezes na vida sem me dar conta do que estava realmente acontecendo, mas a partir deste dia, comecei adotar isso de forma mais consciente e observei resultados que hoje compreendo muito melhor através dos estudos de Inteligência Emocional.

Quando rimos ou sorrimos, liberamos endorfina em nosso organismo e a mensagem que nosso corpo capta a partir disso é que está tudo bem, já que a endorfina tem um efeito semelhante ao da morfina, amenizando dor e desconforto, diminuindo a pressão arterial e os batimentos cardíacos.

O bem estar e o bom humor aumentam e facilitando que vejamos tudo por uma perspectiva mais otimista, dando menos espaço para tristezas e angústias. A criatividade flui com maior facilidade. Tudo isso impacta positivamente na redução do estresse e no fortalecimento do sistema imunológico, criando um círculo virtuoso.

Se nos sentimentos bem, vivemos e nos relacionamos melhor, temos mais disposição e concentração e por isso produzimos com mais qualidade.

Superamos supostos limites e fazemos melhor uso do nosso potencial, o que nos torna mais confiantes para tudo na vida.

Não bastassem tantos benefícios, pesquisas, como as realizadas na Universidade de Vanderbilt em Nashville – EUA apontam que rir durante 15 minutos todos os dias queima até 40 calorias que seria o equivalente à um suco de laranja ou um brigadeiro pequeno.

Com tanta coisa boa, só falta partir para ação.

Quando estiver sentindo cansaço, preguiça, tristeza ou algo que te atrapalhe de conquistar seus objetivos, coloque um sorriso no rosto e vai ser feliz!

 

 

Texto de Patricia Peres Monteiro –  Especialista em Inteligência Emocional, Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Seth Doyle

 

Você é Brisa ou Ventania?

Certa vez, um dos chefes mais brilhantes e queridos que tive,  presenteou cada colaborador da equipe com  adesivos de parede contendo frases diversas.

Cada um recebeu uma frase. A minha era da escritora Clarice Lispector (amo!):

“Sou como você me vê. Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania”.

Imediatamente pensei:  Esta frase me representa! Que vontade de ter conhecido a Clarice!

A frase ganhou uma nova dimensão para mim depois que a coloquei na parede. Cada vez que passava por ela, era automaticamente convidada a lê-la novamente e uma nova reflexão surgia.

Eu pensava nas situações onde eu me apresentava como uma brisa, mostrando meu lado mais leve e suave. Também me lembrava dos momentos onde precisei ser forte como uma ventania para vencer os desafios.

A vida foi me mostrando que é preciso saber entrar e sair de cada um destes papéis, conforme muda o tempo, o clima organizacional ou o estado de humor de quem está convivendo com a gente.

Comecei a observar as pessoas que conviviam comigo e verificar quando elas estavam “brisa” e quando elas estavam “ventania”.

Foi curioso constatar que algumas pessoas ficam na maior parte do tempo como ventania, estressadas, desconectadas de si, distanciadas das coisas boas da vida, desperdiçando a oportunidade de trabalharem de uma forma colaborativa e terem uma convivência mais harmoniosa com as pessoas que estão ao redor.

Já as pessoas que se apresentam só como brisa, podem demonstrar certa apatia ou dificuldade para entrar no ritmo necessário para fazer as coisas acontecerem.

Percebi então que não funciona bem a gente adotar um jeito só de agir.  Se você adota uma postura só brisa, podem passar por cima de você, sem dó nem piedade. Por outro lado, se você é só ventania, pode se autodestruir ou destruir todos que estão ao seu redor.

Assim como na natureza tudo está em constante movimento, na vida da gente também não há nada estático. Quanto mais rápido a gente aprende isso e se coloca em sintonia com este movimento, menos cabeçada a gente dá e mais rápido a gente avança.

Quem diria que um adesivo iria estimular tantas reflexões, tantas fichas caindo. Depois de anos, a parede teve que ser pintada. Não houve maneira de aproveitá-lo.  Ele será substituído por outro que pode ter até ter a mesma frase, mas certamente terá uma nova história!

 

Texto de Patricia Peres Monteiro –  Especialista em Reprogramação Humana, Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by ARTM

Use as críticas como alavanca para o seu sucesso

Numa lista de coisas mais agradáveis do mundo, certamente não encontraremos a palavra “críticas” entre elas. Normalmente isso acontece porque a crítica pode ser confundida com rejeição ao invés de ser vista como aliada.

Sabemos que nem todas as críticas são construtivas e que nem todo ser humano está imbuído das melhores intenções, mas, se você quer avançar em seu desenvolvimento, é preciso saber utilizar as críticas como alavanca para o seu sucesso.  Para isso, pode seguir alguns passos:

Apenas escute:

Se você recebe uma crítica como algo relacionado ao seu valor pessoal, ela terá um efeito como o de uma flecha no peito, rápida e certeira, provocando sentimentos de revolta, tristeza e injustiça.  Para evitar isso, procure apenas escutar a crítica como se ela não fosse para você ou como se você estivesse apenas assistindo a cena, livre da necessidade de julgar.  Pode parecer difícil num primeiro momento, mas encare como um desafio.  Este exercício te ajudará a manter certo distanciamento emocional da situação para que você possa atuar de maneira mais assertiva na sequência.

Entenda o contexto:

A partir do que a pessoa disser, observe os fatos, busque referências e outros pontos de vista, veja com isenção de opinião se as informações apresentadas têm algum fundamento para que você tenha os elementos necessários para decidir algo.

Evite entrar no modo de ataque ou defesa:

Ao escutar uma crítica, evite entrar no modo de ataque e defesa, negando ou rebatendo a crítica. Ainda que você acredite ter a razão, poderá perdê-la se tiver uma reação equivocada. Lembre-se de que as críticas construtivas podem te oferecer oportunidades que você não teria sem elas e abrir espaços para melhorias em empregos ou relacionamentos.  Além disso, a pessoa que está criticando pode não estar totalmente certa, mas pode também não estar totalmente errada e você só terá as informações necessárias para atuar se deixar a pessoa falar. Se depois disso você ainda discordar da pessoa, será sua vez de pedir a palavra e informar sua forma de ver a situação, abrindo espaço para o diálogo e negociação.

Saiba o que se ganha e o que se perde:

Quando uma pessoa critica algo diretamente para você, ela espera uma mudança. Solicite que ela diga claramente qual é a mudança esperada e em quanto tempo ela espera que isso aconteça, para que você então possa avaliar se tem a condição e a vontade de contribuir para o atendimento desta expectativa. Coloque na balança o que você e as pessoas envolvidas ganham ou perdem com sua contribuição para tomar uma decisão que seja coerente com o caminho que deseja seguir.

Aprenda com a crítica:

Todos nós podemos ter um ponto cego, um ângulo que não conseguimos acessar sozinhos, mas que outras pessoas podem nos ajudar a ver.  Acompanhando tantos profissionais em desenvolvimento, observo que os que avançam mais rapidamente e com mais consistência são aqueles que não levam tudo para o lado pessoal e que utilizam as criticas para trabalharem a redução de suas vulnerabilidades.  Você também pode fazer isso, por conta própria ou buscar ajuda profissional, acessando: http://www.transcende.com.br/contato/

Será um prazer te ajudar neste processo.

 

Texto de Patricia Peres Monteiro – Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Tim Gouw

CONHECER O SEU PROPÓSITO NÃO BASTA

Atualmente, muito se fala sobre propósito de vida, missão, “flow” e tantas outras nomenclaturas que remetem à jornada de cada indivíduo e o caminho que cada um busca para melhor compreender seu papel no mundo.

Percebo um importante crescimento nesta direção e certa urgência em se chegar a algum lugar. É como se algo estivesse no ar. Quanto mais as pessoas respiram, mais sentem esta necessidade de encontrar um significado maior para tudo.

Se você já teve ou tem esta sensação, sabe como ela pode servir como mola propulsora, te motivando a buscar novos horizontes ou, ao contrário, como ela pode te paralisar, gerando medo, sentimento de inadequação, incapacidade, ansiedade, tristeza ou a vontade de simplesmente abandonar o barco, largar tudo e sair correndo sem saber ao certo para onde.

Muitas pessoas acham que estão num beco sem saída. Algumas pedem demissão de seus empregos, outras deixam de desempenhar o melhor em suas funções causando também um desligamento. Este mesmo movimento pode acontecer no relacionamento amoroso.

Ações desencadeadas por insatisfações ou desconforto podem ser benéficas, já que corpo e alma podem usar estes recursos para sinalizar que algo não vai bem, mas que tal analisar tudo com mais calma olhando para a situação por todos os ângulos possíveis?

Grande parte das insatisfações pode ser evitada com o alinhamento das expectativas e dos propósitos. Você já deve ter lido ou escutado a seguinte frase: Descubra seu propósito de vida e tudo dará certo. Penso que esta seja uma boa crença, mas será que não se esqueceram de algo?

Vejo profissionais incríveis desperdiçando tempo e energia em trabalhos que não estão alinhados com os interesses de seus clientes ou da empresa onde trabalham, assim como vejo alguns casais achando que estão fazendo o melhor que podem pela relação sem estarem ao certo percebendo as necessidades um do outro.

Observo isso em minhas andanças profissionais como coach e terapeuta, em atendimentos particulares, dentro e fora das empresas e também nos atendimentos para casais. Faz parte do ser humano esta tendência de olhar para si e de dar importância para as coisas a partir do próprio ponto de vista, mas, sabendo disso, podemos treinar o olhar e a ação para outras direções que nos permitam obter novos e melhores resultados.

Então, se tem algo te incomodando, gerando desconforto e frustração, pergunte-se: Como estou contribuindo para isso? O que está me impedindo de mudar esta situação? O que eu ganho e o que eu perco com isso?

Vá explorando e aprofundando cada resposta. O importante é compreender que, seja qual for a situação, sempre há uma saída que ainda não havíamos pensado e uma mudança de comportamento capaz de provocar transformações positivas. Lembre-se de que tudo funciona melhor quando nosso potencial interno está trabalhando em ressonância com o externo.

Por isso, não basta conhecer o seu propósito. Para ter bons resultados é preciso compreender como o seu propósito se relaciona com o mundo.

Texto de Patricia Peres Monteiro – Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Andi Rizal

10 dicas para tornar a vida mais simples

Planeje seu dia

Uma das coisas que tornam meu dia mais simples é ter definido um horário para cada atividade. Saber que já tem um espaço reservado no dia para os assuntos mais urgentes e importantes tranquiliza e libera minha mente para coisas mais úteis do que a preocupação. Você planeja seu dia?

Priorize

Aí você deve estar pensando: Tenho mais coisas a fazer do que horas disponíveis. Como faço?  Pois é, o dia tem 24 horas para todo mundo e grande parte da humanidade tem uma lista maior de tarefas a fazer do que horas disponíveis para isso. Pois bem, não tem milagre. O segredo é apenas saber priorizar.  Pegue sua lista de tarefas (por favor, diga que você tem suas tarefas organizadas em lista) e a classifique em 3 partes, onde a primeira é a de tarefas mais urgentes e importantes (que você precisa resolver no mesmo dia), a segunda de tarefas  importantes mas que não são urgentes (você pode resolver durante a semana) e a terceira é a de tarefas que você não tem urgência ou um prazo definido para resolver. Fazendo isso você estará colocando seu foco nas atividades que representam o que mais importa para seu resultado final.

Tenha uma rotina do bem

Não temos como escapar de algumas atividades diárias, que, digamos assim, podem não ser as as que mais amamos fazer. Retirar o lixo da casa é uma destas atividades que ainda não encontrei um ser humano que a ame. Neste caso cabe a nós organizá-las buscando uma maneira de não torná-las um estorvo maior do que são. Fazer um esquema de revezamento com as pessoas que compartilham o mesmo espaço pode ser uma solução, desde que o operacional seja bem definido entre os envolvidos.

Engane sua mente

Se você precisa fazer uma atividade que considera chata e por isso fica procrastinando, engane sua mente. Minha dica é que você junte esta atividade desagradável a algo muito agradável que  sirva de contra ponto. Para mim funciona colocar uma playlist com músicas em espanhol.  Além de me animar, ainda treino o idioma e dependendo do dia ainda arrisco uma dancinha. Diversão garantida para mim e para quem conseguir me ver dançando enquanto eu estiver distraída.

Mantenha a ordem

Pode parecer uma frase autoritária, mas faça sua própria experiência. Permaneça em um lugar sujo e desorganizado por algum tempo. Depois permaneça o mesmo tempo em um lugar limpo e organizado. Observe as reações no corpo. Veja com sua mente capta o ambiente e transmite as sensações.  Quando o externo está organizado, parece que fica mais fácil para organizar o interno também. Experimenta e me conta!

Evite escassez e excesso

Qualquer coisa deixa de ser saudável quando entra na categoria de escassez ou excesso. Uma planta que não recebe água morre, mas se receber água em excesso, morre também. É assim com ela, é assim com a gente. Pense: você está comendo mais ou menos do que precisa? Você está gastando mais do que seria saudável para suas finanças? Qual o impacto destas atitudes em sua vida? Identifique o que está faltando e sobrando e ajuste dentro do que estiver ao seu alcance para obter maior equilíbrio.

Peça ajuda

Escuto muitas pessoas dizendo que não pedem ajuda, pois acham que as pessoas ao redor é que precisam perceber a necessidade e se oferecerem para ajudar.  Gente, a não ser que você conviva com seres muito iluminados, isso não funciona.  No coaching exercitamos a comunicação real onde você deve falar de forma clara e explícita o que você está pensando, sentindo e querendo. Isso dá assunto para outro artigo, mas resumidamente sugiro que você ofereça para as pessoas a oportunidade de dizerem a você se  podem e/ou querem te ajudar e pra isso é preciso que você saiba pedir.

Saiba quando e como dizer não e dizer sim 

Este tema também dá para aprofundar muito, mas para começar, tenha clareza do real motivo de dizer sim e de dizer não. Você realmente quer e pode fazer o que estão te pedindo. Ter esta clareza minimiza a sensação de culpa quando você precisa negociar ou dizer não e possibilita que você diga sim com mais responsabilidade sabendo ao certo a capacidade que tem para assumir os compromissos. Ao contrário do que muitos imaginam, esta postura firme e coerente auxilia na construção de uma imagem de credibilidade, mesmo quando a resposta é: não.

Cerque-se de pessoas bem humoradas

Pessoas bem humoradas são os melhores amuletos. Simples assim.

Procure a beleza no simples

Analise sua vida e verifique tudo que pode ser simplificado. Reconheça os benefícios que a simplicidade pode proporcionar e o valor que isto implica. Contabilize quanto tempo você ganha por dia ao se vestir tendo suas roupas e acessórios organizados. Quanto tempo você ganha elaborando um relatório quando consegue localizar facilmente as informações que precisa. A motivação para fazer o que é necessário para facilitar a vida aumenta quando se sabe ao certo o quanto você está ganhando. Aproveite o tempo que sobrar para encontrar alegria na gargalhada de um bebê,  na  brincadeira de um cachorro, ver beleza no olhar das pessoas queridas e por que não se olhar nos olhos para se conectar com alma. Simples assim!

Eu desejo que você encontre o melhor da simplicidade em sua vida!

Texto de Patricia Peres Monteiro – Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Unsplash

10 PASSOS PARA SE GOSTAR MAIS

 

 

 

 

 

 

 

 

1. Evite se comparar

O hábito de se comparar com outras pessoas pode ser extremamente prejudicial e abalar sua auto estima. Cada pessoa tem suas características individuais com pontos positivos e pontos a melhorar bem particulares, sendo que esta avaliação depende muito de pontos de vista. Sendo assim, o melhor jeito é você se comparar apenas com sua própria versão anterior, assim poderá observar como você estava dias, semanas, meses ou até anos atrás e observar em quais aspectos já evolui, usando o lado que falta melhorar apenas como alavanca para seu sucesso.

2. Liste suas qualidades
Todos nós temos qualidades, que inclusive podem nos ajudar enormemente a lidar com nossas imperfeiçoes. Muitas vezes esperamos ouvi-las através de elogios, mas não precisamos esperar que esta validação venha só do outro. Podemos adiantar esta parte assumindo a responsabilidade tê-las sempre em mente e em ação para reforçar nosso poder.

3. Faça afirmações positivas se olhando no espelho
Este exercício pode ser feito de duas formas. Você pode escrever no espelho afirmações positivas que sejam coerentes com o que você almeja. Por exemplo: “Minha inteligência facilita meu progresso” ou “Minha sensibilidade me aproxima de pessoas queridas”. Você também pode se olhar no espelho e dizer para si: “Te amo”, “Eu vejo sua beleza” “Confio na sua inteligência”. O fato de você ler estar afirmações para você mesmo enquanto se olha contribui para que você se conscientize de suas qualidades, facilita que sua mente registre estas informações e passe a atuar a seu favor.

4. Tenha clareza da intenção de seus atos
Uma grande sacada para você se gostar cada vez mais é você ter clareza da intenção de seus atos. Por exemplo, se você tem um filho que precisa educar e para isso precisa ser firme em algumas situações, pode se sentir mal em seguida, mas se você se lembrar que sua intenção é prepara-lo para a vida e que neste momento o que mais contribuirá para isto é sua firmeza, você conseguirá agir de acordo com o que ele precisa. Ainda que ele não reconheça isto na mesma hora você ficará com o sentimento de dever cumprido. Saber que sua firmeza auxiliará que seu filho seja direcionado para os melhores caminhos ajudará que você mantenha seu foco e sua satisfação por ser quem você é. Este é o verdadeiro amor, querer o bem e não só a aprovação do outro.

5. Libere-se da Culpa
Nos atendimentos que realizo posso verificar o quanto a culpa interfere negativamente na vida das pessoas, dificultando que elas se apreciem pelo que são. Saber que sempre podemos aprender com os erros do passado e adotar novas atitudes, pode nos ajudar a seguir em frente buscando fazer diferente o que não acertamos antes, mas liberando a carga da culpa que em nada contribui para nossa evolução. Se você está com dificuldade para substituir culpa por aprendizado, vale a pena buscar ajuda profissional.

6. Seja sua(eu) melhor amiga(o)
Se achar difícil ou até estranho conversar com você mesmo em voz alta, faça de conta que está enviando um áudio para uma pessoa amiga. Fale com você através deste áudio como se estivesse falando com alguém, contando suas aflições, dúvidas apenas solicitando uma opinião sobre o assunto. Depois, escute o que você gravou como se estivesse escutando uma pessoa muito querida que precisa de sua ajuda e responda. Muitas vezes dedicamos o melhor de nós para os outros quando também precisamos deste carinho.

7. Volte a fazer o que te dá prazer
Recorde-se das coisas que você adora fazer sem precisar de companhia ou descubra novas coisas que levantem seu astral. Estar num estado de tranquilidade e alegria nos coloca em contato com nossa alma, aquela que sabe o que realmente nos faz bem.

8. Viva no aqui e agora
Viva da melhor forma que você puder no presente sem esperar para ser feliz quando se tornar a pessoa que almeja no futuro, até porque, seu futuro depende do que você estiver fazendo com sua vida agora. Ter satisfação por quem você é hoje faz toda diferença.

9. Use coisas que estimulem alegria
Procure sempre ter junto à você ao menos uma peça de roupa, acessório ou qualquer objeto que te traga bem estar . Você também pode ter um quadro ou objeto que ao olhar te traga alegria. Tudo isto contribui para que você se sinta bem de uma maneira geral.

10. Seja grata(o)
Gratidão é uma palavra linda mas que vem sendo usada ultimamente sem que seu real significado seja invocado. Neste caso, vale mais o sentir do que só o falar. Então, reflita sobre tudo que você tem gratidão, reconheça e agradeça as situações e pessoas que passaram por sua vida e que contribuírem de um jeito ou de outro para você avançar em algum aspecto. Eu sou grata à você por ter  dedicado alguns minutos de sua vida para me acompanhar através desta leitura.

Texto de Patricia Peres Monteiro – Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Johannes Plenio

AUMENTE A AUTO RESPONSABILIDADE SUBSTITUINDO RECLAMAÇÕES POR SOLUÇÕES

 

 

Quando reclamamos de algo e não apresentamos uma solução para o que estamos reclamando, transferimos, mesmo que de forma inconsciente, a responsabilidade para o outro, como se não tivéssemos o poder de mudar a situação.

Lá no fundo, estamos esperando que alguém tome uma atitude e resolva aquilo por nós, como uma criança que reclama dos irmãos para que os pais resolvam por ela.

Com a reclamação gastamos uma energia que poderia estar sendo utilizada para a solução e ainda transmitimos uma mensagem desfavorável para nossa imagem pessoal e profissional.

Ainda que não tenhamos respostas para tudo, é preciso que nossa comunicação esteja mais próxima da imagem que queremos transmitir.

Este exercício pode auxiliar nesta tarefa:

  • Observe a situação com distanciamento, como se estivesse vendo uma cena sem participar dela. Veja como cada personagem (pessoas envolvidas na situação) agem/reagem.
  • A partir do distanciamento, observe se há redução do impacto das emoções em seu julgamento.
  • Desenvolva a empatia, procurando se colocar no lugar de cada uma das pessoas envolvidas na situação.
  • Busque alternativas para resolver a questão usando a criatividade, responsabilidade e bom senso.
  • Compartilhe suas ideias com as pessoas envolvidas, solicitando sugestões e o ponto de vista de cada uma para encontrarem juntos uma solução que seja viável para todos.

Substituindo as reclamações por soluções você estará caminhando para fortalecer sua auto responsabilidade.

Você já é capaz de abdicar de qualquer resquício de papel de vítima adotando uma postura auto responsável e criando uma melhor realidade para sua vida.

Aumentar a auto responsabilidade pode ser fácil, libertador e até divertido!

 

Texto de Patricia Peres Monteiro – Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Ben White

Ações solucionadoras

 

 

Quem já não passou por um dia capaz de abalar as estruturas emocionais e por à prova tudo o que aprendemos sobre etiqueta e autocontrole?

É certo que todo mundo já foi exposto a algum tipo de pressão como prazos apertados, metas cada vez mais audaciosas, disputa de cargos, clientes insatisfeitos, problemas financeiros, fusões e tantas outras situações comuns nos dias de hoje.

No meio disso tudo ainda surge um problemão para resolver e tornar o dia ainda mais “emocionante”!

É preciso desenvolver mecanismos de autoproteção para manter o equilíbrio e não perder o foco.

Em situações onde é preciso achar uma saída rapidamente, muitas vezes são utilizadas medidas paliativas para estancar um problema ou pelo menos ter essa ilusão temporariamente.

O problema é quando as medidas paliativas tornam-se a regra e não a exceção, produzindo um verdadeiro estoque de coisas a serem revisadas e corrigidas futuramente.

Não há método de administração de tempo ou imagem profissional que resista a isso.

Problemas reincidentes consumem muito mais tempo e irritam muito mais os clientes, sejam internos ou externos.

Por isso é tão importante desenvolver centramento e adotar como hábito as ações solucionadoras, aquelas que resolvem as questões de forma satisfatória para todos os envolvidos, sem que seja necessário retornar ao mesmo tema futuramente pelo mesmo motivo.

É possível desenvolver nosso potencial para agirmos de forma assertiva com frequência e rapidez, exercitando o centramento, a comunicação real, a ampliação de visão e outros pontos trabalhados no processo de coaching.

Investir na maximização de seu potencial é o melhor caminho para obter melhores resultados, aproveitar melhor o tempo e conquistar maior qualidade de vida.

 

Texto de Patricia Peres Monteiro – Coach, Terapeuta, Facilitadora e Fundadora da Transcende

Photo by Sarah Dorweiler